Portal AuToCaRaVaNiStA - Grupo AuToCaRaVaNiStA Português - O SEU PORTAL DE AUTOCARAVANISMO INDEPENDENTE SEMPRE CONSIGO.

FORNOTELHEIRO . CELORICO DA BEIRA - GUARDA


Apontamento AuToCaRaVaNiStA:
Fornotelheiro é uma freguesia Portuguesa pertencente ao Município de Celorico da Beira, Distrito da Guarda. É sem duvida uma terra com muita história para contar devido aos monumentos históricos um pouco espalhados pelo seu território. Ao par com a sua sede de Município, Fornotelheiro foi em tempos idos um grande centro de decisões, basta para isso observar o seu Pelourinho, e a Forca medieval correspondente, para facilmente chegar a essa conclusão.


             HISTÓRIA:

Ostentando a maior área das freguesias do concelho de Celorico da Beira, com 2.048 ha, Fornotelheiro faz fronteira com a freguesia de Santa Maria, no concelho de Celorico, Aldeia Nova no concelho de Trancoso e Fuinhas no concelho de Fornos de Algodres. Fornotelheiro, tem nos seus limites divisão com três concelhos, constituindo parte das divisões Nordeste do concelho de Celorico da Beira. 

Distando 7 km da sede do concelho, é constituída pelos lugares de Celorico da Beira-Gare, Casas do Rio, Quintas do Salgueiro e Cardal. Constitui, logo a seguir às freguesias da vila de Celorico, a freguesia mais populosa, graças à sua localização na margem direita do rio Mondego e bons acessos rodoviários e ferroviários (a estação de caminhos-de-ferro encontra-se na freguesia).


Antiquíssimo lugar, aqui se encontra a Necrópole de São Gens, pertença de povos ancestrais. Antigo cemitério, é um dos mais importantes patrimónios arqueológicos existente nas beiras. Existem ali quatro espécies de túmulos: uns em forma de banheira, outros triangulares, outros antropomórficos e outros cavados em pedras móveis.


O castro do Torreão é de milenar ocupação. Os romanos exploravam aqui o estanho, aproveitando também as águas termais de Santo António.
A designação de Fornotelheiro deve-se, muito provavelmente, ao facto de ali ter existido e se ter desenvolvido a indústria da telha. Facto confirmado pelo lugar da Ribeira das Olas (que em latim designa olaria) e de nas suas margens haverem surgido indícios de
construções romanas, nomeadamente blocos de argila maciça.

Antiga vila, conserva ainda vestígios da sua categoria, através da forca e pelourinho. Este último é composto por uma coluna octogonal de quatro metros rematada em pirâmide, apresentando na frente norte o escudo nacional e por cima a esfera armilar com a cruz de Cristo. Símbolos do monarca D. Manuel I. O pelourinho data, inequivocamente do séc. XVI. Quanto á forca, encontra-se ainda no monte denominado Pendão ou Outeiro da Forca.

No tempo das invasões francesas, a Igreja e aldeia ocupadas serviram de hospital de campanha e num lugar, Chão dos Ingleses, estão sepultados inúmeros soldados aliados. A imprescindível luz eléctrica foi aqui inaugurada em 1954.
Fornotelheiro é hoje uma freguesia onde o surto da emigração acalmou e a sua população estabilizou, graças à existência de postos de trabalho e à proximidade da sede de concelho.

Assim, é na freguesia de Fornotelheiro que se localiza o Parque Industrial do concelho de Celorico da Beira, e os poucos industriais que nele se encontram, dão emprego a muita gente da freguesia e arredores, sobretudo mão-de-obra feminina.
A agricultura também emprega algumas famílias e abrange sobretudo a pecuária, a olivicultura e as árvores de fruto.


Freguesia com considerável número de jovens, urgia associá-los no sentido dá prática de actividades culturais (teatro, preservação do património) e desportivas, sedo criada para o efeito a associação OPI-JOVEM.
Associado ao seu rico património histórico-cultural, o termalismo é um outro recurso que Fornotelheiro pode oferecer ao visitante ou a quem das suas águas necessita para doenças de pele, gastro-intestinais ou hepáticas.

Fonte: cm-celoricodabeira.pt


Portal AuToCaRaVaNiStA
Grupo AuToCaRaVaNiStA Português
Copyright AuToCaRaVaNiStA - by jbmendes