Portal AuToCaRaVaNiStA - Grupo AuToCaRaVaNiStA Português - O SEU PORTAL DE AUTOCARAVANISMO INDEPENDENTE SEMPRE CONSIGO.

CELORICO DA BEIRA - GUARDA



Apontamento AuToCaRaVaNiStA:


Celorico da Beira pertence à Região Centro, Distrito da Guarda. Celorico, no interior do centro histórico, à volta do Castelo, é constituída por construção puramente Medieval. Em seu redor, depara-mo-nos para além do casario em granito, a Torre do Relógio, a Igreja, e o Castelo, como elementos mais importantes do património medieval. Celorico da Beira é Sede de Concelho, e é sobejamente conhecida pelo seu queijo artesanal serrano "com certificação D.O.P." produzido com leite 100% ovelha, e que faz deste Concelho um dos mais procurados pelos turistas, para a aquisição de um genuíno queijo da Serra. Celorico da Beira, tem no edifício denominado de: Solar do queijo da Serra da Estrela, o ex-libris da história do queijo da Serra da Estrela, na sua verdadeira acepção da palavra. Para mais informação visite o site da Câmara Municipal, que reza assim:

QUEIJO SERRA DA ESTRELA

A raça ovina Bordaleira da Serra da Estrela é uma ilustre produtora de leite. Este transforma-se num néctar no fabrico do mais reconhecido queijo português – Queijo Serra da Estrela. Esta iguaria é fruto de um processo que vai mais além da simples técnica. A mão-de-obra utilizada nas queijarias é, na sua maioria, de índole familiar, o que confere um ambiente único. Os segredos vão passando das avós para as netas, numa tradição secular. As artesãs possuem um conhecimento único, mas levantam sempre um pouco a ponta o véu e deixam-nos alguns pequenos segredos do ofício. As mãos, dizem elas, devem estar sempre frias, desde o dessoramento até ao encinchamento. Em termos técnicos, o fabrico deste manjar inicia-se com uma selecção criteriosa do leite, exclusivamente fornecido pela Bordaleira da Serra da Estrela. 

Posteriormente, é colocado em recipientes próprios para a formação da coalha. Esta é induzida através da utilização do cardo (retirado da flora regional), previamente moído no almofariz. Após este processo, procede-se à extracção do soro do leite – o dessoramento – a coalhada é agitada de tempos a tempos, com cuidado para não prejudicar o endurecimento do grão. Finalmente, a coalhada é pressionada levemente para se extrair o soro na quantidade desejada. É então colocada nos cinchos – o enchimento, sendo extraído o restante soro com o apoio de uma francela e onde a coalha sofre diversas viragens. Após a salga, o queijo é colocado no local onde irá permanecer durante, pelo menos, trinta dias, para a sua maturação e encascamento. Entretanto o soro do leite é aproveitado para fazer requeijão, que é saboreado com o delicioso doce de abóbora. O processo de fabrico do Queijo Serra da Estrela é inspeccionado segundo critérios rigorosos. Desta forma, obtém-se um produto altamente qualificado de uma região demarcada, com denominação de origem protegida – DOP. Além do Queijo Serra da Estrela DOP, o visitante poderá encontrar nas diversas queijarias espalhadas pelo concelho, um delicioso queijo de ovelha curado ou amanteigado, fruto de saberes ancestrais.
História de alguns Monumentos de Celorico:
O Castelo de Celorico:

O Castelo de Celorico, cuja fundação remontará aos séculos XII/XIII, é classificado tipologicamente como sendo um castelo românico-gótico. Possui duas entradas uma a oeste e outra a leste; dois cubelos adossados ao lado Sul da Muralha, um de planta quadrangular irregular e outro de planta trapezoidal irregular e originalmente possuiria uma Torre de Menagem no centro do reduto defensivo, cujos vestígios, todavia, não chegaram até aos nossos dias. Assim, a Torre que hoje subsiste deverá ser mais tardia e posterior a outra localizada no centro da praça. Quanto à cronologia de ocupação deste espaço não é unânime entre os diversos autores que já escreveram sobre o assunto. Alguns deles referem que, dado o valor estratégico do local, a primeira fortificação de Celorico terá sido um castro proto-histórico, que posteriormente terá sido romanizado. A teoria da existência de uma ocupação anterior ao período da Idade Média poderá ser corroborada pelo facto de no local existir uma epígrafe votiva de época romana, consagrada a uma divindade pré-romana.
A Torre do Relógio:

A Torre do Relógio, localiza-se em pleno centro histórico de Celorico da Beira, junto à Praça 5 de Outubro e nas proximidades da Igreja de Santa Maria. A cronologia de construção e a sua funcionalidade colocam dúvidas, dado que os autores que já se debruçaram sobre o assunto não são unânimes quanto a cronologia da sua construção e qual o verdadeiro objectivo da sua construção. Para alguns autores este edifício terá sido construído nos séculos XIV/XV, encontrando-se associado a uma barbaca, que juntamente com esta constituiria a primeira linha de defesa do Castelo de Celorico. Contudo, outros autores defendem que a cronologia de construção deste edifício é bem mais tardia, tendo ocorrido nos séculos XVI/XVII, com a função de receber um relógio público numa época onde a instalação destes equipamentos se verifica em diversas localidades de norte a sul do País. Durante as últimas décadas assistiu-se a uma progressiva degradação do edifício, até que finalmente a autarquia procedeu à requalificação deste espaço, tendo por objectivo a recuperação do relógio e tornar a Torre do Relógio um espaço cultural.
Igreja da Mesericórdia:

No Largo da Misericórdia, onde poderá entrar no interior do templo, que foi de Santo Isidoro, extinta no séc. XVI. Passa a Misericórdia quando esta instituição assistência se funda em Linhares no ano de 1576. De fundação românica, foi muito alterada no séc. XVII. Tem um retábulo de talha barroca e interessantes pinturas de transição para o séc. XVII na capela-mor e uma preciosa bandeira de procissão, que esteve presente em 1958, na Exposição Comemorativa do Nascimento da Rainha Dona Leonor, fundadora da Misericórdias, ao lado de muitas outras, foi considerada uma das mais belas do país.
Fonte: www.cm-celoricodabeira.pt


Portal AuToCaRaVaNiStA
Grupo AuToCaRaVaNiStA Português
Copyright AuToCaRaVaNiStA - by jbmendes