Portal AuToCaRaVaNiStA - Grupo AuToCaRaVaNiStA Português - O SEU PORTAL DE AUTOCARAVANISMO INDEPENDENTE SEMPRE CONSIGO.

RIBEIRA DE PARDELHAS - MURTOSA - AVEIRO


Apontamento AuToCaRaVaNiStA:

Ribeira de Pardelhas pertence ao Concelho da Murtosa, Distrito de Aveiro, Portugal. Local aprazível transformado em Parque de merendas com enormes mesas, que convidam famílias ou grupos numerosos a convívios com a natureza como pano de fundo, e a ria de Aveiro como beleza natural.

Tem bar de apoio, ancoradouro de barcos de pesca artesanal e descarga de pescado. Estão alí instalados neste local diversos equipamentos ligados a C.M.Murtosa para dar apoio a colectividades da localidade. Toda a zona que vem já da vizinha Estarreja está equipada com tapete em asfalto de tripla funcionalidade como: Automóvel - Bicicleta (Cicloria) - Pedestre. A Natureza é a principal atracção. Vale a pena a visita, até porque muito próximo dalí (Estarreja) existem 2 areas de serviço para autocaravanas, a terceira fica situada no centro de Estarreja(um pouco mais longe). Único Concelho com 3 Areas de Serviço em Portugal, confira a na nossa  Base de Dados de Áreas de Serviço neste Portal. OBRIGADO ESTARREJA


  PATRIMÓNIO NATURAL:

O Concelho da Murtosa é banhado por um dos mais belos acidentes hidrográficos que se designa vulgarmente por Ria de Aveiro. A Ria de Aveiro estende-se por cerca de 45 Km de comprimento, desde Ovar até Mira. Nela, desaguam rios como o Vouga, Águeda e Cértima. Comunica com o mar através de uma barra artificial aberta em 1808. A abertura da barra permite à população que vive junto à ria um maior bem estar económico e social.



A Ria de Aveiro comunica com o mar através da barra, sendo afectada pelas suas águas salgadas e pelas águas doces dos rios. Esta situação vai condicionar a flora e a fauna de toda a região, e transformar este espaço num habitat muito importante a nível Nacional. A Ria de Aveiro tem uma grande diversidade de habitats naturais: "estuários, lagunas, lodaçais e areias a descoberto na maré baixa, prados salgados atlânticos, florestas dunares de Pinheiro - bravo (Pinus pinaster) e Pinheiro - manso (Pinus pinea), turfeiras altas activas, freixiais (de Fraximus angustifolia), carvalhais (de Quercus fraginea) e muitos outros." Ria de Aveiro: Uma história que fala por si. Forum Ambiente. Porto: Grupo Forum. 1999, nº.59.

A Ria é considerada uma zona húmida relevante e protegida por diversos meios legais (Biótopo de Corine, Zona de Protecção Especial entre outros). Existem inúmeras espécies a proteger na Ria de Aveiro, entre as quais a Lontra (Lutra lutra). Podemos encontrar espécies piscícolas: solha, linguado, robalo, taínha e enguia, esta última com grande relevância na gastronomia deste concelho. Na flora referimos a importância, para este Concelho, da existência do bunho, na realização das esteiras e do junco, utilizado ainda hoje para fazer a cama do gado e, posteriormente, junto com os excrementos, serve como fertilizante da terra.


Há uma espécie que trouxe, ao longo de diversos anos, vantagens económicas para o Concelho da Murtosa - o moliço. "O moliço tem sido colhido ao longo de diversos séculos para utilização agrícola, no enriquecimento e condicionamento de terrenos arenosos.(...) As áreas cobertas pelo moliço, são de elevada importância biológica: constituem abrigo para juvenis de espécies piscícolas; são uma fonte importante de produção primária e servem como acumuladoras de energia e nutrientes. Além disso, a vegetação submersa estabiliza os sedimentos do fundo, retira energia às correntes de maré e diminui a turbidez da água.

Actualmente a recolha do moliço, cinge-se a uma actividade esporádica." SOUTO, Luís; PINHO, Rosa - Património Natural I - Prelúdio. 1ª. ed.. Aveiro: ADERAV - Associação para o Estudo e Defesa do Património Natural e Cultural da Região de Aveiro, 2001. 159 p. (Patrimónios; nº.1).ISBN 972-9091-02-1. A Murtosa situa-se próxima da Reserva Natural das Dunas de S. Jacinto, criada pelo Decreto-Lei nº. 41/79 de 6 de Março "com vista à fixação das dunas e conservação do património faunístico e florístico." Foi reclassificada pelo Decreto Regulamentar nº. 46/97 de 17 de Novembro. SILVA, Gilberto M.; VAZ, Rui M. - Guia do Visitante: Trilho de Descoberta da Natureza. S. Jacinto: Instituto da Conservação da Natureza, 1999. ISBN 972-775-029-X.

Fonte: www.cm-murtosa.pt

Portal AuToCaRaVaNiStA:
Grupo AuToCaRaVaNistA Português
Copyright AuToCaRaVaNiStA - by jbmendes