Portal AuToCaRaVaNiStA - Grupo AuToCaRaVaNiStA Português - O SEU PORTAL DE AUTOCARAVANISMO INDEPENDENTE SEMPRE CONSIGO.

1º ENCONTRO NACIONAL DE AUTOCARAVANAS

Apontamento AuToCaRaVaNiStA:


INAUGURAÇÃO DA AREA DE SERVIÇO PARA AUTOCARAVANAS E A CONCENTRAÇÃO DE 150 AUTOCARAVANAS NO 1º ENCONTRO NACIONAL DE CASTELO DE PAIVA (OFICIAL)

Dia 3, 6ª Feira de Manhã, início de uma organização AuToCaRaVaNiStA que prometia muito trabalho para receber as muitas Autocaravanas que esperavamos para esta Grande Festa do Autocaravanismo, integrada na Feira do Vinho Verde do Lavrador e Gastronomia de Castelo de Paiva que conta ainda com diversos stands de artesanato local.
             NOTAR QUE:
Apenas menos de metade do parque estava reservado para as Autocaravanas!. Sexta Feira, fechamos a mesa de recepção aos companheiros, no final da tarde pelas 18H00, já contavamos com mais de 100 Autocaravanas. Durante o Sábado chegaram o restante de 150 Autocaravanas, (Ou mais já que perdemos a conta entre saídas e entradas fora de horas) entre algumas que tendo compromissos inadiáveis, mesmo assim vieram viver uma grande noite de folia e boa disposição. Mesmo durante a noite e madrugada ainda foram chegando "mesmo com alguma dificuldade" autocaravanas que não puderam vir mais cedo, e tiveram algumas dificuldades de transito, já que durante a noite são muitas centenas de carros há procura de lugar para estacionar.
Por isso alertei sempre a chegada das Autocaravanas durante a tarde máximo até 20H00,(seja de Sexta ou Sábado) porque depois disso é complicado o transito em toda a zona envolvente. O espaço para as autocaravanas estava reservado e vedado, pelo que não constituiu nenhum problema o aparcamento das Autocaravanas, resultando uma eficiente organização geral de todos os intervenientes. O Autocaravanismo esteve de parabéns, como se pode lêr no: Castelo de Paiva On-line, e outras diversas fontes de notícias.
O Total de Autocaravanas máximo que tinhamos em conta eram 200. Muitos amigos mandaram E-mails, outros telefonaram-me a justificar a ausência, (com muita pena por não poderem estar presentes) entre Comunhões, Casamentos, e causas diversas, não poderam comparecer. Um bem haja especial, a um casal de Autocaravanistas, que mesmo tendo festa na frente da casa deles, vieram de Sexta para Sábado, regressando no Sábado á noite a casa para verem o fogo de artifício da sua varanda.
PARABÉNS A TODOS

FOTOS DA 12ª. FEIRA DO VINHO VERDE E GASTRONOMIA DE CASTELO DE PAIVA.
ESTAS SÃO APENAS ALGUMAS IMAGENS DAS IMENSAS INTERACTIVIDADES EM REDOR DA FEIRA. ABERTURA DA FEIRA: 6ª. Feira ás 16 Horas PONTOS ALTOS: 6ª. Feira á Noite e Sábado Tarde e Noite.
HISTÓRIA DA FEIRA DO VINHO VERDE GASTRONOMIA E ARTESANATO DE CASTELO DE PAIVA:

(Este texto refere-se á anterior Feira.)

O Vinho Verde da Sub-Região de Paiva consagrado num certame de referência nacional Continuar a investir na qualidade da produção vitícola, aumentar a competitividade, ganhar visão de mercado e valorizar sempre o factor humano, foram algumas palavras de incentivo realçadas na intervenção de Silva Peneda, que integra o grupo parlamentar do Partido Popular Europeu, que se congratulou com o sucesso do certame paivense e prometeu lutar contra a anunciada estratégia da EU para avançar com a redução de vinha no espaço europeu.

O deputado europeu falava na cerimónia de abertura da 9ª Feira do Vinho Verde, Gastronomia e Artesanato de Castelo de Paiva, um êxito municipal que se renovou e que pretende continuar a valorizar a produção vitícola do concelho e a promover o produto agrícola mais conhecido e premiado da região. Depois das grandiosas festas de S. João, a urbe paivense voltou a animar-se ao acolher milhares de visitantes em mais uma edição da Feira do Vinho Verde, um certame que já ganhou projecção nacional e que este ano contou com mais de 70 expositores, numa jornada de três dias de convívio e animação que superou todas as expectativas da Câmara Municipal, a entidade que em 1998 criou e lançou esta mostra vitícola, este ano mais valorizada com o espectacular triunfo da Selecção Nacional frente aos ingleses no Mundial da Alemanha. Vinho verde - Artur Neves, Arouca Para o edil paivense, o importante foi ganhar a aposta, ciente de que o grande objectivo que norteou esta grande festa promocional foi a valorização e divulgação da nossas potencialidades como concelho produtor de vinho verde de qualidade, consagrando o nosso melhor produto e a dedicação dos nossos lavradores a este importante sector agrícola.

Dar a conhecer os sabores da cozinha tradicional paivense, o gosto da doçaria local, o bom fumeiro da região, a beleza do artesanato local, a dinâmica das autarquias e o trabalho das IPSS – Instituições Particulares de Solidariedade Social , foi o complemento de um evento já referenciado na região e que este ano teve como tema de destaque as distinções recentemente alcançadas pela Adega Cooperativa de Castelo de Paiva, com maior evidência para o espumante tinto Terras de Paiva , produzido a partir das melhores castas de vinho verde da Sub-Região do Paiva. Degustar os melhores vinhos, estimular os sentidos, sentir o prazer do que é verdadeiramente genuíno e conhecer a irreverência de um vinho único cada vez mais apreciado e distinguido, foi o mote que marcou esta edição de uma mostra vitícola que envolve cada vez mais a população, cativa visitantes e já não passa despercebida a ninguém, desde o leigo ao especialista em enologia.

Na sessão solene de abertura do certame, onde estiveram presentes o Director Regional de Agricultura de Entre Douro e Minho e o presidente da Comissão Viticultura da Região dos Vinho Verdes, entre outras entidades ligadas ás autarquias e ao sector vitivinícola, o presidente Paulo Teixeira agradeceu o envolvimento e empenhamento de todos os expositores presentes, evidenciando o seu contributo para a grandeza que a feira representa nos dias de hoje, dirigindo-se depois, aos representantes das confrarias presentes, também eles imbuídos no espírito de projectar, ainda mais, o excelente vinho verde da Sub-Região de Paiva. Mostrando-se feliz com a dimensão do certame, Paulo Teixeira voltou a sublinhar que esta é forma mais eficaz de dar a conhecer o concelho e a sua apetência vitícola, conseguindo-se uma jornada de reconhecimento a todos os produtores e à adega local que, com esforço e grande dedicação, orientam um grande carinho a um sector agrícola que é fundamental para a economia do concelho. O autarca paivense realçou o crescimento da feira e o seu carácter genuíno, agora enquadrado no novo espaço da Praça da Independência, destacou a presença de mais quintas e a paixão que o município apresenta pela temática do vinho, razão pela qual o exemplo do projecto de reconversão da vinha realizado em Castelo de Paiva merece ser enaltecido, contrariando a recente decisão da União Europeia em querer avançar com o arranque de mais de 400 mil hectares de vinha no espaço europeu, onde a região dos vinhos verdes está incluída, um decisão que Paulo Teixeira contestou publicamente, solicitando a intervenção de Silva Peneda no Parlamento Europeu.

Elogiando a dinâmica dos produtores e da Adega Cooperativa na valorização do sector e dos vinhos de Paiva, onde evidenciou a importância do Plano Estratégico de Desenvolvimento que está em curso, Paulo Teixeira destacou esta aposta, com a consciência de que “ essa é uma obrigação do Poder Local e um dever que temos perante os nossos produtores que merecem uma realização desta envergadura “. Entusiasmado pelos prémios conquistados pelos vinhos verdes e espumante tinto da Adega Cooperativa, o autarca lamentou, apenas, que o concelho não tenha, ainda, a capacidade hoteleira para receber mais gente, potenciando assim, uma maior amplitude do certame, mostrando-se, no entanto, esperançado que novos projectos e equipamentos hoteleiros já previstos, possam incrementar o turismo e trazer mais gente ao concelho. Consagrar os vinhos de qualidade, incentivar a aposta no turismo rural e no enoturismo e homenagear a nossa adega cooperativa e os nosso produtores foram argumentos realçados pelo edil paivense que, considerou a feira, também, uma boa estratégia de promoção e uma excelente oportunidade de negócios. A importância da globalização foi a justificação de Paulo Teixeira para a presença do deputado europeu ( Elisa Ferreira foi também convidada mas não pôde estar presente ), perspectivada para um conhecimento mais amplo no espaço comunitário dos vinhos de Castelo de Paiva e das dificuldades ainda sentidas pelos viticultores locais. Silva Peneda começou por elogiar o trabalho da autarquia ao lançar esta iniciativa, destacando o entusiasmo do presidente Paulo Teixeira, que considerou ser um autarca empenhado e muito dedicado à sua terra, estando sempre na linha da frente na defesa dos interesses de Castelo de Paiva.

E em jeito de resposta ao apelo do edil, o euro deputado manifestou-se contra as orientações definidas pela EU a respeito da redução das explorações vitícolas, face à penetração no mercado europeu dos vinhos do “ Novo Mundo “, salientando que “ não faz sentido andar a apostar e a investir em vinhas de qualidade, criando riqueza e potenciando o desenvolvimento de regiões mais desfavorecidas, para agora entrar em retrocesso e avançar com o arranque de grandes área de vinha nova “. E Silva Peneda prosseguiu dizendo que, “ é um absurdo investir e trabalhar para melhorar as explorações, conseguir vinhos de qualidade, consagrar um certame como este, que premeia um trabalho esforçado e potencia progresso e agora mandar reduzir essas mesmas vinhas “, frisando depois que “ podem contar com a minha solidariedade nesta luta ao nível da União Europeia “
.
O conhecido politico mostrou-se mesmo surpreendido pelo trabalho que tem sido realizado em Castelo de Paiva neste sector, mostrando-se esperançado que a valorização deste espaço territorial possa prosseguir com mais empenho, potenciando oportunidade e privilegiando parcerias, procurando fortalecer a economia local numa perspectiva de sustentabilidade que a todos possa interessar. Seguiu–se depois a habitual ronda pelos expositores para entrega de certificados e o certame abriu com as provas de vinhos nas tasquinhas presentes e as jornadas gastronómicas, privilegiando pratos típicos e as especialidades mais conhecidas no concelho.

Ao nível da animação musical registou-se a habitual participação dos ranchos folclóricos do concelho, que alegraram a feira com as suas danças e cantares tradicionais, ao mesmo tempo que merece ser realçada a expressiva actuação da Bandinha da Alegria, de Alcobaça, que voltou a brilhar na noite de Sábado, assim como o Grupo de Gaiteros da Batalha, Os Amigos da Portela e o Grupo “ É já a seguir “, que se exibiram em grande nível pelo espaço da feira.
Nas jornadas gastronómicas e nas provas de vinho, sempre muito concorridas, esteve o sucesso do evento, quanto não seja porque, durante três dias, a terra de Paiva sentiu-se honrada de receber tanta gente, na rota do melhor vinho verde, aproveitando a ocasião para festejar em êxtase a grandiosa vitória de Portugal sobre a Inglaterra e o consequente feito histórico que garantiu o apuramento para as meias finais da prova, a decorrer na Alemanha. E a fazer nas previsões da organização, dos restaurantes e das tasquinhas das quintas representadas, foram milhares de litros de vinho comercializado no certame que ontem encerrou noite dentro, numa efusiva jornada de alegria e conviavilidade, cujo ponto alto foi as noites de Sexta e Sábado. No final, em período de conclusões, o vereador Rui César Castro, responsável directo pelo evento, fez balanço muito positivo, considerando que se ultrapassou as expectativas e evidenciando o contentamento dos expositores, sendo que a autarquia contabilizou mais um êxito, com milhares de visitantes a elogiar a iniciativa e prometer voltar no próximo ano. Extraído de: Castelo de Paiva.Net

Portal AuToCaRaVaNiStA:
Grupo AuToCaRaVaNiStA Português
Copyright AuToCaRaVaNiStA - by jbmendes